Entrando no clima

O sol se põe no horizonte, o cheiro de restos de feira empreguinam o ar, algumas pessoas ainda caminham pela praça e um velho já começa a acender os postes com seu lampião, ao fundo ouve-se pessoas com vários resmungos típicos aos que seguem um dia estressante de trabalho, no outro lado da praça a música começa numa espelunca onde os moradores chamam de "A Taverna"

Uma breve descrição já é mais do que suficiente para colocar todos no clima, pense um pouco antes de começar e depois deixe que tudo flui naturalmente. Imaginemos agora como seria aproximação a um casarão em uma colina.

A noite está fria e a lua a muito já se ocultou em nuvens, os presságios são de chuva e talvez tempestade, o vento uiva ao passar pelas velhas arvores secas que estão as margens da antiga estrada de comercio, eis que surge uma bifurcação e olhando acima da colina um velho casarão, um relâmpago corta os céus e em seguida ruge o trovão, na pequena trilha em direção a casa algumas lapides estão espalhadas.


Uma experiência completa no RPG só existe quando podemos preencher todos os sentidos e assim a imaginação pode realmente fluir e construir uma história coletiva.

A descrição deve compreender.
  • Visão
  • Audição
  • Olfato
  • Tato
  • Paladar
Ao descrever como uma noite fria você tem um sentido, totalmente aplicado e outros dois condicionados, temos o frio que é o tato e noite para condicionar a visão e o frio para condicionar o olfato.

Como seria uma breve descrição do combate.

Mestre: Ao ouvir um ranger de ossos atrás de você o que você faz?

Guerreiro: Eu viro rapidamente para ver o que é.

Mestre: A uns três metros ossos estão se erguendo e formando um guerreiro esqueleto.

Guerreiro: Estou sacando minha espada e vou partir para o ataque.

Mestre: Ok lance os dados.

Guerreiro: Errei!

Mestre: O guerreiro esqueleto se desvia pelo seu flanco direito em uma rolada e se ergue novamente já desferindo um ataque "rolar dado" huuuuu ele golpeia com toda sua força, mas você estava mais preparo e ergue seu escudo no momento exato e desvia seu golpe o deixando com a guarda aberta.

Guerreiro: Aproveitando a oportunidade farei uma investida e "rolar dado" o acerto bem no meio da costela "rolar dano"

Mestre: Seu golpe foi tão poderoso que despedaçou esse saco de ossos.


Como seria a mesma sequencia como eu vejo normalmente


Mestre: Ao ouvir um ranger de ossos atrás de você o que você faz?

Guerreiro: Eu viro rapidamente para ver o que é.

Mestre: A uns três metros ossos estão se erguendo e formando um guerreiro esqueleto.

Guerreiro: Estou sacando minha espada e vou partir para o ataque.

Mestre: Ok lance os dados.

Guerreiro: Errei!

Mestre: Agora é ele, "rolar dados" e ele também erra

Guerreiro: Vou atacar de novo "rolar dados" acertei "rolar dano"

Mestre: Você matou ele.

Acho que se esforçar na descrição das ações ajuda o grupo como um todo.
Isso é apenas minha humilde opinião sobre as descrições em uma mesa, visto que imaginamos o que ouvimos, quando mais detalhado o que se ouve mais rico em detalhes será nossa imaginação.

Mas a descrição também pode ser um problema, se caso o mestre se empolgar e descrever com demasiados detalhes uma única coisa em sua cena, os jogadores o tomarão como importante e podem perder muito tempo de jogo só fazendo testes em volta da coisa. Exemplo:

Ao abrir a porta pode-se comtemplar a maravilha da arquitetura empreitada nesta sala, suas paredes ornamentadas com entalhos que descrevem guerras e o piso composto de pedras lisas, ao centro um pequeno altar de madeira envernizado e um leve tecido de seda vermelho o cobre parcialmente, onde serve de suporte para uma gema grandiosa de cristal que filtra a luz de sua tocha e a espalha por toda a sala, gerando um belo efeito prismático de luz.

Se meu objetivo aqui é que eles desvendem o que os desenhos dizem, isso já foi embora, todos estão atrás do altar e sua gema, querem saber se podem arranca-la, se é uma armadilha, se é mágica e por ai vai.
Dar ênfase a descrições de coisas que não são o foco tem esse valor negativo.

Pra resumir, o bom é que descrevamos sempre, mas principalmente o nosso objetivo.

2 comentários: (+add yours?)

Maybe another Mr. Nobody disse...

Excelente post Adeyvison, parabéns! Adorei mesmo!!

Adeyvison Siqueira disse...

Obrigado.
To com um tempinho hoje, dai resolvi trabalhar algumas idéias.

Postar um comentário