011: Um Jogo de Tabuleiro inusitado e surpreendente!

O Quê acontece quando uma banda de Metal Sinfônico resolve ingressar no mundo dos Board Games? 011 é a resposta!



011 é um jogo de tabuleiro inusitado em vários sentidos. Primeiramente, porquê ele faz parte de um projeto da banda de Metal Sinfônico Therion, o qual também conta com um curta-metragem e um CD conceitual.
Segunda novidade é a temática do jogo, aonde a mitologia nórdica é cruzada com um cenário vaporpunk.
A terceira novidade fica por conta da mecânica do jogo, que conta com uma mistura de vários elementos presentes em jogos de tabuleiros distintos.
Num primeiro momento, poderíamos simplesmente classificar o jogo como um material de divulgação da banda, mas este jogo entrega muito mais do que isso... Entrega uma experiência de jogo surpreendentemente satisfatória e diferenciada.

Segue descrição extraída do site Boardgamegeek:

É o ano 011 de um Século 19 alternativo.

Na mística cidade de Turin, a descoberta de um livro perdido revela uma terrível profecia que anuncia o fim do mundo: Fenrir, o filho de Loki destinado a matar Odin e causar o  Ragnarök, está prestes a despertar!

Em apenas 11 horas, o Deus Lobo vai despertar e o mundo como conhecemos deixará de existir...
Mas o livro perdido indica uma forma de parar esta profecia: se alguém conseguir compor "A Música da Criação" e encontrar um que possa tocá-la no "Inefável Órgão da Eternidade" - um misterioso órgão de tubos escondido em algum lugar de Turin - para que a batalha dos deuses possa ser adiada para outra era! Mas quem é "O Escolhido" que sozinho poderá tocar a sagrada "Música da Criação"? E onde está o "Inefável Órgão da Eternidade"?
Capitão Snowy, Princesa Lilja, o brilhante inventor Påhlsson, o detetive Kolebert, a charmosa Lady Lewis, o Monologuista Professor Jhonsson, o imprevisível Sr. Vidal e o fantasmagórico Doutor Vikström: oito vidas para escolher o destino do mundo... Mas uma dessas almas foi possuída pelo espírito de Fenrir, que necessita de uma forma física para procurar pelo escolhido e matá-lo!


A batalha pela verdade final começou: O antigo confronto entre bem e mal está para começar. Mas como podemos identificar quem é o campeão de um e quem está do lado do outro?

O jogo usa um novo sistema de seleção de ação "mecânico" e intriga os jogadores com um paradoxo: os outo personagens todos trabalham juntos para parar o Ragnarök mas apenas um dos jogadores pode alcançar a vitória! Os personagens do jogo compartilham os nomes e rostos dos membros da banda de Metal Sinfônico  Therion e o jogo é oficialmente suportado pela banda!

Apresentação dos componentes do jogo

TRAMA DO JOGO:

Como descrito acima, o jogo se passa no século 19 em um momento em que o Ragnarok (equivalente ao Apocalipse na mitologia nórdica) está para acontecer com a morte de Odin. As profecias falam que Fenrir, o filho-lobo de Loki será o responsável por isso. O único que pode impedir o fim de tudo é um mortal conhecido como “O Escolhido”.

Um grupo de estudiosos e místicos sabe disso e partem para desvendar e resolver o mistério desta profecia. Eles sabem que “O Escolhido” está entre eles e ninguém ainda sabe quem é. Para impedir o Ragnarok, eles precisam achar um item divino conhecido como “O Inefável Órgão da Eternidade” que está escondido na cidade de Turin, na Itália.
Além de achar o órgão e descobrir quem é o Escolhido, os heróis precisam aprender uma música que irão tocar no Órgão. E tudo isso em 12 horas, que são representadas em rodadas no jogo.

A Princesa Lidja encontra o Inescrutável Órgão da Eternidade

Não obstante todas essas "missões" que devem ser cumpridas antes do fim do mundo, o jogo acrescenta uma dose maior de emoção pois o espírito de Fenrir possuir um dos personagens e seu objetivo será o de matar “O Escolhido” antes que ele chegue ao órgão.

COMPONENTES:

Além da temática chamativa, os componentes são extremamente bem feitos e dão um show à parte, com destaque para as 3 engrenagens do tabuleiro que estão muito bem encaixados com o conceito e jogabilidade. As miniaturas são bem detalhadas e em material de ótima qualidade. As cartas, tabuleiro e as guias de referência possuem arte digna da banda que prima pelo erudito, com textos e referências a lugares reais e literatura histórica.

Close up das engrenagens do jogo
As miniaturas e as cartas dos personagens
Alguns tiles do jogo

O ponto negativo fica por conta da dificuldade em distinguir as miniaturas no tabuleiro. Os jogadores precisam comparar as runas que estão na base das miniaturas com uma planilha de referência. Isso acaba com a dinâmica e dificulta o planejamento. Há soluções caseiras para este problema como pintar a base das miniaturas com cores diferentes e colocar um selo da mesma cor na figura correspondente da planilha de referência.


SISTEMA DO JOGO:

Inicialmente o jogo parece se utilizar meramente da mecânica de investigação e intriga (estilo Clue ou Detetive), mas ao passo em que se vai jogando, percebe-se que ele é muito mais do que isso!
O jogo requer uma estratégia pesada, com duração longa e administração dos recursos disponibilizados aos jogadores.

Close up do relógio do tabuleiro

Todas as ações dos jogadores são gastas com pontos de Tempo. No início, todos começam com 45 pontos de tempo, mas isso vai se extinguindo rapidamente. No fim do jogo, percebe-se que se essas ações não foram bem pensadas, os pontos começarão a fazer falta, o que torna a administração das ações um fator decisivo para ganhar o jogo.

Conforme as rodadas vão passando, o jogo fica mais tenso e exige mais cálculo, principalmente depois da entrada de Fenrir.

Demonstração do jogo na GiocAosta 2011


Enfim, 011 é um jogo que carrega consigo uma pesada lista de motivos para fazer parte de sua lista de jogos de tabuleiro!
Apenas para acrescentar mais um ponto positivo a tudo que já foi apresentado, a produtora disponibiliza um manual também em português lusitano! Se estiver interssado em conhecer mais as regras, você pode encontrá-las aqui!

OBS: Parte da análise do jogo foi extraída de um artigo do blog REDOMANET, postado pelo colaborador Ricardo Stavalle.

4 comentários: (+add yours?)

Darkolme disse...

Caraca, que jogo lindo!

Anônimo disse...

Cara eu tenho todos os discos do Therion, mas não sabia disso.

Luiz Henrique de Souza Gomes disse...

Bixu, tu vai trazer isso Hugo?!

MitH disse...

Se trouxerem esse, sugiro trazer mais de um, porque um eu compro certamente!

Postar um comentário