Um RPG de Supers e Horror.

Recentemente adquiri mais um RPG de John Wick, autor entre outros jogos de "The Shotgun Diaries", "Blood&Honor", ambos publicados no Brasil pela Redbox Editora, e do premiadíssimo "The Legend of The Five Rings". Desta vez comprei o pdf do jogo "Wicked Heroes: Children of the Mirror", um cenário que mistura super-heróis e horror, dois temas que me atraem muito.



Esse RPG fez parte do "Big Book of Little Games" lançado em novembro de 2011 que reúne vários pequenos RPGs feitos por John Wick para juntar a galera e começar a jogar logo, entre eles "Cats" e "Byron Falls: A Little Game About a Lot Supernatural High School Drama", já analisados neste blog. John Wick tem a facilidade de criar grandes jogos com cenários cheios de alternativas em poucas paginas, indo direto ao assunto e transformando a experiência de se jogar RPG algo mais do que apenas ficar rolando dados e comparando com tabelas para se saber o resultado da ação do personagem. Ele prefere que a história e os personagens sejam mais importantes do que a mecânica do jogo sendo um dos maiores game designers do estilo de narrativa compartilhada.

A história do jogo é a seguinte: um espelho obsidiano (formado a partir de uma pedra vulcânica preta muito lisa) foi encontrado na América do Sul no século XVIII e levado para a Europa em um navio espanhol. No meio do caminho o capitão do navio enlouqueceu e o espelho se perdeu, mas uma "maldição" foi espalhada pelo mundo.

A maldição de quem tocou no espelho se espalhou pela humanidade através de seus descendentes, chamados de "Crianças do Espelho" ("Childrem of the Mirror"), e agora algumas pessoas, aparentemente tão normais quanto eu ou você (você é normal, né?), passaram a ter uma Benção e uma Maldição. Essa Benção é UM ÚNICO poder que o personagem tem e que é definido no início da construção do personagem através de uma lista. A Maldição é algo que te consome, que te obriga a fazer coisas que as vezes o personagem não gostaria, mas se sente compelido a fazer, e também é definido pelas cartas no momento da construção do personagem. Algumas dessas "Crianças" são possuidoras de mais de um poder. Como conseguiram isso? Matando outra "Criança do Espelho" e tomando seu poder, assim como sua maldição. Simples assim e assustador. Muitas vezes uma "Criança do Espelho" não sabe que tem poderes até que outra "Criança do Espelho" se aproxime dela, quando então ocorre seu despertar e ela passa a desenvolver seus poderes. Nesse momento seus olhos se tornam duas bolas negras, iguais a superfície do espelho. Isso sempre acontece quando os seus poderes se tornam ativos, assim como a sensação de enjoo de quando outra "Criança" está por perto. Muitas vezes ela nem consegue saber como usar ou qual é seu poder sendo morta rapidamente por uma dessas "Crianças" comedoras de poderes.


A construção de personagem leva alguns poucos minutos, como na grande maioria dos jogos de John Wick, e o jogador deverá responder a 5 perguntas:
1. Quem sou eu?
2. Como eu acordei?
3. Qual é minha benção?
4. Qual é minha maldição?
5. Quais são minhas motivações?


Como eu acordei é respondido pelo jogador dizendo quando e como seu poder foi desperto e ele passou a ter ciência de sua Benção. Esse despertar deve obrigatoriamente ter um encontro com outra "Criança", podendo ser algo bom ou algo assustador.


Após responder a esse questionário seu personagem está pronto para as aventuras. Aqui os heróis podem combater o crime secretamente, lutando contra outas "Crianças" que usam seus poderes para o mal ou simplesmente tentar sobreviver procurando levar uma vida normal sabendo que existem outros iguais a eles que querem seu poder. No cenário do jogo há um histórico curto sobre o que aconteceu com os supers que demonstraram o poder abertamente durante as décadas de 40 e 60, a perseguição por parte do governo e a preocupação em manter tudo isso longe do conhecimento da população, assim como as sociedades secretas que se dedicam a encontrar o espelho e alguns vilões famosos.


Escrito em apenas 19 páginas "Wicked Heroes: Children of the Mirror" é um jogo bem legal, divertido, rápido e que dá uma visão diferente dos jogos de supers. O cenário do jogo lembra um pouco a série de TV "Heroes" misturado com X-Men em um cenário de horror, já que existem vários elementos sobrenaturais no cenário que são explicados no livro além do medo constante de ser vítima de outra "Criança do Espelho". O sistema usa cartas ao invés de dados e a quantidade de sucessos ao assumir um risco é igual a quantidade de verdades que o jogador poderá narrar na cena, sendo muito próximo do sistema de "Blood&Honor".


Quem se interessou pelo jogo e quiser comprá-lo, que custa apenas $5 dólares, é só acessar o site da DriveThruRPG clicando AQUI. 

Quem quiser dar uma olhada no vídeo promocional feito para o jogo clique AQUI.

André Cruz é mestre e jogador de RPG e secretamente combate o crime nas horas vagas usando seus poderes de contar histórias.

3 comentários: (+add yours?)

George Matheus disse...

Parece ser bom,tem ele em português?

André Cruz disse...

Infelizmente não George. Somente em inglês, mas bem fácil de ler e somente 19 páginas. Vale muito a pena.

André disse...

Bonitas ilustrações!

Postar um comentário