Projeto "Esta Vitória Mortal".

Muitos que visitam nosso blog constantemente, além de acompanhar as notícias sobre RPG nos vários sites espalhados pela rede mundial, já devem ter ouvido falar do RPG Este Corpo Mortal, de Brennan Taylor, lançado no Brasil pela Editora Retropunk. Este Corpo Mortal é um jogo sobre magia e paixão, onde o conjunto de regras do livro te ajudam a criar um cenário totalmente seu e de seu grupo de jogo, com mecânicas para magias que podem ser válidas apenas para seu grupo, descrição de como funciona a magia e criaturas sobrenaturais completamente únicas para cada grupo.


Eu sou grande fã da linha de quadrinhos da Vertigo (Hellblazer, Livros da Magia, Sandman, Preacher, entre outros), tendo feito inclusive uma adaptação de Hellblazer para este jogo e publicado aqui mesmo em nosso blog. De tanto ler sobre ambientação de cenários para várias cidades, mas principalmente de Londres (do qual já quase virei especialista de tanto que li!) percebi que isso não é verdadeiro para os jogadores, que não têm a preocupação em saber a localização de pontos importantes na cidade que narro, a distância que precisam percorrer, onde encontrar algo que precisam, etc. Como Este Corpo Mortal é um jogo narrativo colaborativo, no qual não é o mestre que decide tudo, tendo a necessidade de participação dos jogadores, comecei a pensar na possibilidade de adaptar a cidade de Vitória como um cenário de magia, porque facilitaria a imaginação dos jogadores.
                                                           Vista noturna de Vila Velha
Comecei a pesquisar sobre lendas e histórias de fantasmas da cidade de Vitória e em conversa com vários outros mestres surgiu a ideia de transformar a região da Grande Vitória em um grande cenário místico e mágico, assim como os mais variados escritores fizeram com as cidades de Londres (além das revistas citadas acima temos ainda Harry Potter!) e Nova York (palco da disputa final em Highlander, lembram?) apenas para citar algumas. Se elas podem ser um cenário místico, porque não a região da Grande Vitória? Existe uma rica história de nosso estado que pode ser facilmente adaptado para um cenário sobrenatural, permitindo que Mestres e Jogadores possam jogar visualizando tudo de maneira mais fácil e rápido onde está acontecendo a ação.
         Trasgo, habitante das matas capixabas. Chegou por aqui junto com os navios portugueses.

A ideia vai um pouco além. Alguns dos mestres de RPG mais antigos do nosso grupo serão personagens no cenário e isso ajudará aos players os reconhecerem como magos antigos, com lendas e histórias sobre eles. Exemplo: Jefferson Pimentel será Papus, mago protetor da cidade de Serra e que atualmente está apaixonado por uma Bast, chamada Andreia; André Cruz será "O Velho", mago que tem uma vasta biblioteca de ocultismo e dizem ter um poderoso artefato roubado do museu de Cairo/ Egito, que lhe dá os olhos do Deus Cobra Seth; Eduardo Tob será Mestre Tobias, mestre de capoeira e um poderoso Necromântico, o qual afirmam já ter ido até o mundo dos mortos para resgatar um antigo amor; Adeyvison e Luiz Henrique serão Xamãs Urbanos, responsáveis pela manutenção de um poderoso feitiço feito pelos índios Botocudos e Goytacazes que transformaram dois guerreiros, um de cada tribo, nas montanhas do Moxuara e Mestre Álvaro. As duas montanhas impedem que o Jurupari (um demônio infernal que viaja pelos sonhos dos mortais) se liberte e invada nossos sonhos transformando-os em pesadelos e sugando nossa essência vital; Tiago Honorato será Honorato, um descendente da lenda da Cobra-Honorato da amazônia e que negocia artefatos e itens mágicos. Outros ainda sofrerão adaptações.

                                       O Velho, lendo um dos seus inúmeros livros místicos
Os players farão parte deste cenário e a ideia básica é mantermos uma base de dados sobre os personagens criados permitindo que quando os jogadores, independente de onde são, se juntarem para jogar com qualquer mestre que se interesse pelo cenário, reconheça o personagem do jogador e saiba um pouco da sua história, mesmo que esteja jogando com outro mestre. Para isso será necessário que mestres e jogadores façam atualizações na base de dados conforme rolarem suas aventuras.
Saci-Aiba na visão de Altemar Domingos, criador de Jaguara, HQ brasileira. Esqueça as traquinagens, aqui o negócio é feio mesmo.
Para que tal projeto vá adiante, e eu possa publicar um cenário para este jogo, preciso que os jogadores me enviem relatos sobre lendas e histórias do seu bairro, da sua cidade. Muita coisa tenho encontrado na internet, mas tem várias histórias deliciosas que tenho ouvido de algumas pessoas e que não há registro em lugar nenhum. A famosa história oral: que é passada de geração em geração apenas através das palavras. Se você souber de alguma coisa por favor enviar um e-mail para flucruz@ig.com.br.
Portal existente próximo ao monte Mestre Álvaro que leva ao mundo espiritual onde vivem as criaturas do chamado folclore brasileiro.

Histórias como Maria Ortiz expulsando os holandeses com água fervente (seria uma bruxa com uma poção de proteção?); a ossada do padre Anchieta no palácio do governo; a batalha dos portugueses contra os índios na praça Oito (os fantasmas dos guerreiros continuam por lá, batalhando sem fim e por isso o centro de Vitória está se degradando e se tornando violento?); a revolta de Queimados (será que os fantasmas de Chico Prego e dos revoltosos já descansaram?); a mudança da sede de Serra pelo padre Brás Lourenço, passando para frente do Mestre Álvaro, ao invés do outro lado, onde morriam várias pessoas (seria obra do Jurupari?) além de outras com certeza já estão adicionadas no cenário. Não tenho a intenção de fazer nada real ou explicar a realidade fazendo uma relação misteriosa. Pelo contrário, tenho a intenção de criar realmente uma mitologia nossa, utilizando elementos de histórias existentes adicionando muito fantasia e magia.
Jurupari, demônio dos sonhos, assim chamado pelos indígenas, que está preso entre os montes Moxuara e Mestre Álvaro devido ao um poderoso ritual que de tempos em tempos precisa ser refeito.

Espero poder contar com a participação da comunidade capixaba e quero lembrar que apesar de Aracruz, Santa Maria de Jetibá, Santa Tereza, Santa Leopoldina não estarem na Grande Vitória, são cidades com muitas histórias que espero estar recebendo em breve  pelos jogadores e colaboradores. Um abraço a todos.

4 comentários: (+add yours?)

Luiz Carlos Junior disse...

Muito legal a sua ideia, André! Sou do Rio de Janeiro e recentemente usei em uma aventura de Shotgun Dairies o bairro aonde meus amigos e eu morramos.

André Cruz disse...

Valeu, amigo! Também sou do RJ mas já estou radicado aqui no ES tem mais de 20 anos. Nossa história é rica em vários contos e lendas os quais podemos transformar em aventuras assim como os escritores de outros países fazem com suas histórias. O RJ então tem uma riquíssima história que pode fazer da cidade um cenário sensacional de se jogar. Imagina o que pode ter na Floresta da Tijuca? Será que a noite no Aterro do Flamengo os vampiros da cidade se encontram? E na Lapa? Será local para encontro de imortais? Prédios abandonados no centro antigo do Rio abrigam fantasmas? Muita coisa legal para se pensar. A propósito: EU ADORO THE SHOTGUN DIARIES! Em breve vou fazer um cenário de apocalipse zumbi aqui em Vitória também! :)

Wulfgar disse...

Boa noite André, adorei sua ideia de ambientar VIX para um cenário místico, os personagens conseguem interagir muito mais com todo o cenário desta forma. Lembro que mestrei uma vez, nas poucas vezes que isso ocorreu, "All the Flesh Must be Eaten" ambientado na nossa querida ilha. Percebi que os jogadores ficaram mais soltos, só de citar as localidades já sabiam quais eram e não precisei perder tanto tempo com longas e detalhadas explicações. Ficou super legal.
Quando disse que queria abranger Santa Maria de Jetiba, me lembrei que tem os grupos dos pomeranos que contam com várias lendas. Não sei muitas delas, mas há um texto sobre a antiga arte da bruxaria pomerana, acho que poderia usar algo.

Abraços e novamente parabens!!

André Cruz disse...

Valeu Wulfgar! A ideia é essa: deixar os jogadores mais a vontade no cenário e saber melhor que direção tomar ou pra onde ir durante as aventuras. Falei de Santa Maria de Jetibá justamente por conta dos pomeranos e suas histórias. Se vc souber de algum link para eu pesquisar e puder me passar te agradeço. A propósito, AFMBE é um dos meus jogos favoritos. Mestrei durante muito tempo Witchcraft, que usa as mesmas regras (sistema Unisystem) e são da mesma editora. Espero que possamos jogar Esta Vitória Mortal no próximo evento do RPG na Ilha. Um abração!

Postar um comentário